Teste de DNA de última geração pode diferenciar gêmeos idênticos

Uma das grandes questões acerca do teste de DNA forense era a sua incapacidade de distinguir o DNA de gêmeos idênticos sendo estes apenas distinguíveis pela impressão datiloscópica. Bom, pelo menos até meados de 2014 era isso que se conhecia.



Um novo teste de DNA utilizando sequenciadores de última geração foi desenvolvido na Alemanha e promete solucionar casos criminais em que há irmãos gêmeos como suspeitos. O teste tem como alvo não a presença de sequências repetidas como no teste tradicional de DNA (marcadores STRs) mas, sim, mutações que ocorrem em um único nucleotídeo. Considerando que as mutações ocorrem aleatoriamente no genoma, até mesmo gêmeos idênticos irão ter variações na localização dessas mutações.



O cientista que desenvolveu o teste, Burkhard Rolf,  que trabalha para a empresa Eurofins Scientific, em seu artigo publicado na revista Forensic Science International: Genetics, conseguiu identificar positivamente qual dos irmãos gêmeos era o verdadeiro pai de uma criança.
O trabalho de imediato chamou a atenção das autoridades que passaram a enviar evidências para serem analisadas. Um  caso está prestes a ser julgado com base na nova técnica pela primeira vez.


O caso dos Gêmeos Dwayne e Dwigth


Em 2004, duas jovens foram raptadas por homens armados enquanto caminhava para casa, perto de Boston à noite. Os crimes aconteceram em um intervalo de oito dias, mas o padrão foi o mesmo: As mulheres foram empurradas para um carro por dois homens munidos de pistola, conduzidas para um local diferente, e estupradas. Durante a coleta de suas roupas, a segunda vítima conseguiu agarrar o preservativo que um dos homens havia usado; ela escondeu-o no bolso, e transformou-o em prova.
Um dos dois homens envolvidos confessou os ataques em 2012. O outro permaneceu em silêncio. A polícia tinha um suspeito, mas não conseguiram ligar o crime a ele devido ao fator genético: Ele tinha um irmão gêmeo idêntico, e o DNA do preservativo combinava com ambos os irmãos. Mas agora, uma década depois os assaltos, os cientistas desenvolveram um teste genético que podem distinguir entre gêmeos idênticos, e que pode ser usada no processo pela primeira vez.
 
O segundo suspeito é de Dwayne McNair de 33 anos de idade. Em setembro, McNair foi indiciado por oito acusações de violação agravada e duas acusações de assalto à mão armada , decorrentes das duas agressões sexuais.
Os resultados do teste realizado indicaram que a probabilidade da fonte do DNA recuperado na cena do Crime pertencer a Dwayne McNair era de 2 bilhões de vezes maior que seu irmão gêmeo.

O teste será admissível no Tribunal?


Uma audiência preliminar foi marcada para decidir se o teste será aceito ou não. Até lá, há os que defendem o teste dizendo ser confiável, com utilização de sequenciamento genético consolidado, com baixo risco de erro se práticas laboratoriais adequadas forem  adotadas. Entretanto, o teste não funciona muito bem com amostras de sangue uma vez que os irmãos compartilham as células sanguíneas desde o seu desenvolvimento embrionário até mesmo depois de adultos.




Fonte: http://www.wired.com/2014/12/genetic-test-distinguishes-identical-twins-may-used-court-first-time/
           http://www.nytimes.com/2014/09/16/us/new-dna-test-sought-in-identical-twins-rape-case.html?_r=0
          Artigo científico completo

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quanto Ganha um CSI?

Eletroplessão e as diversas formas de morrer eletrocutado.

Video: Uso de luzes forense na busca de evidências